Programa Final (Pdf) clique aquí
(Last Minute Changes)

 

Quarta-feira, 27/6

Quinta-feira 28/6

Sexta-feira 29/6

8.00 – 9:00

Credenciamento e inscrição

 

 

 

9:00 – 11:00

Painel 1: Corpos/Prazer e Bem estar

 

Painel 2: Revisitando os Direitos Sexuais: Novas ferramentas conceituais

 

Painel 3:
Culturas Sexuais na América Latina

11:00 - 11:30

Intervalo / Café

Intervalo / Café

 

Intervalo / Café

 

11:30 - 1:00

Sessões
paralelas 1

Sessões
paralelas 3

 

Sessões
paralelas 5

 

1:00 - 2:00

Almoço

Almoço

Almoço

Almoço executivo(paramembros da IASSCS)

2:00 - 3:00

Apresentação de pôsteres

Lançamento do livro: Women´s Sexualities adn Masculinities in a Globalizing Asia

De Saskia Wieringa y Abha Bhaiya

Apresentação de pôsteres

(apresentações a cargo dos autores)

Sessões
paralelas 6

 

3:00 - 3:30

Intervalo / Café

 

Intervalo / Café

 

Intervalo / Café

 

3:30 - 5:00

Sessões
paralelas 2

 

Sessões
paralelas 4

 

Painel final: Globalização, Sexualidade eMercado

 

 

5:00 - 7:00

Recepção de Boas vindas
(ver mais)

Hotel Bolivar
(hasta las 10pm)

 

Apresentações

Manifesto da Campanha pela Convenção Interamericana dos Direitos Sexuais e Reprodutivos

(17:15 a 18:30)

Os Principios de Yogyakarta sobre a Aplicação do Direito Internacional Humanitário emRelação à Orientação Sexual e Identidade de Gênero

(18:30 a 19:45)

Cerimônia de Encerramento
(ver mais)

 

 

Apresentações especiais

Programa Cultural

A pesar de não estar programado desde o início, as características de muitos trabalhos apresentados e aprovados como exposição oral e pôster permitem a criação de um espaço especial para as reflexões dos diversos temas do Congresso a partir da perspectiva cultural, da militância e das artes.

Estas reflexões, na forma de exibições, vídeos ou performances estão alocadas em salões especiais e locais de passagem do Campus Sul da Universidade Peruana Cayetano Heredia onde será o Congresso.

Participants:

Giuseppe CAMPUZANO
“Museo Travesti del Perú”


PERÚ
Elizabeth CABREL
“Mujeres, la importancia de conocer nuestros cuerpos”

PERU
Anirban DUTTA
“Examining Masculinity and Maleness in India through Visual Images”

INDIA
Proyecto EXPERIENCIA
“Vivo con VIH-Ponte la Camiseta”

PERU
Ana Francis LÓPEZ BAYGHEN
“Mujeres,…¿Vírgenes, Alicias… Maravillas?”

MÉXICO
Sukhragchaa MIJIDSUREN
“Youth for Health”

MONGOLIA
Roberto PABLO
"Mandala"

CHILE
Julieta PAREDES
“Mi Amor…¿Qué llevas encima del cuerpo?”

BOLIVIA
Ingrid TARTAKOWSKY
“Bodyfications”

CHILE

Lincoln THEO
“Undermining White Male Sexual Identity in South Africa: Performing the Fetish”
SUDAFRICA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eventos Sociais

Coquetel de abertura
Hotel Bolívar19:00
Horário de saída do translado para o Hotel Bolívar 17:30

No transporte para o Hotel Bolívar haverá guias bilíngües e se fará um pequeno citytour passando pelos principais monumentos e lugares históricos de Lima. Após este passeio chegaremos ao tradicional Hotel Bolívar, onde seremos recepcionados por uma Tropa de Sicuris* que nos levará ao salão da cerimônia de abertura.

Após os discursos dos anfitriões, será oferecida uma variedade de pratos da conhecida comida peruana, acompanhada do peruaníssimo Pisco Sour.

Para encerrar a festa, teremos a participação do músico Miki Gonzáles que após anos de pesquisa sobre as diferentes vertentes da música peruana (andina, negra) com objetivo de resgatar a cultura nativa, chegou a uma interessante fusão com ritmos eletrônicos, instrumentos tradicionais peruanos e danças.

(*)O Sikuri

O siku, zampoña ou antara é um dos instrumentos musicais mais antigos do Altiplano Aymara. É formado por vários tubos compostos por duas partes. Na forma antiga de tocar o siku, cada parte da melodia deve ser tocada por um intérprete diferente.

A tradição diz que uma parte se chama Ira, que significa ‘o que guia’ e a outra, Arka, que significa ‘o que segue’; por isso o siku é tocado sempre em grandes grupos formados por pares arka e ira.

Na ‘tropa de sikuris’ ou ‘tocadores de sikus’, um ou mais músicos podem tocar ao mesmo tempo uns grandes bumbos chamados wankaras, que possuem um som muito potente.

Os grupos podem usar diferentes tamanhos de instrumentos, os quais produzem vozes variadas e representam os membros de uma família: pais, filhos, bebês etc. Muitas dessas ‘famílias’ formam a totalidade de uma comunidade.

A banda completa se chama 'tropa de sikuris’ e em cada grupo os músicos tocam e dançam um de cada vez, girando em um círculo, seja sem sentido horário ou anti-horário, de acordo com a melodia.

A partir do Altiplano, o siku se expandiu primeiro para todo o sul do país e depois chegou até a capital, conquistando suas ruas e praças e arrastando os animados dançarinos de todas as idades e raças.

Cerimônia de Encerramento

Auditório Principal (Campus UPCH) 17:00

Depois da plenária final, daremos início à Cerimônia de Encerramento com a Danza de las Tijeras, com os Danzaq(1), presença fundamental em todos os eventos importantes dos Andes Centrais. Imediatamente após o discurso dos anfitriões, iniciaremos o fim da festa com uma Marinera Norteña(2), com os campeões do Festivalde la Marinera de Trujillo e terminaremos com uma apresentação do Cajón Peruano(3), da área de música da Universidad Peruana Cayetano Heredia. Em seguida, a Unidade de Salud, Sexualidad y Desarrollo Humano oferecerá um coquetel aos participantes.

(1) Danzaq La Danza de las Tijeras é uma impressionante manifestação de arte e destreza física e para o homem andino trata-se de um complexo ritual. Uma série de mistérios rodeia os danzaq (que executam o ritual) que com força e elasticidade exibem sua destreza mediante saltos de ginástica ao ritmo da harpa e do violino. É uma dança de caráter mágico e religioso, e coreograficamente representa o espírito dos Andes.

(2)Marinera Este baile é derivado da zamacueca. Tem vários estilos de acordo com seu lugar de origem: marinera da costa, serrana ou do Norte. Seu desenvolvimento é de grande dinamismo, com movimentos elegantes e uma coreografia muito completa de seqüências coordenadas e sincronizadas. Cada membro do casal executa permanentemente o ritmo com um lenço em uma mão, utilizado para o galanteio, apesar de não haver contato físico.

(3)Cajón Peruano Instrumento de percussão de origem afroperuana utilizado na maioria das variações musicais da Costa Peruana. É feito com uma caixa de madeira com um orifício na parte posterior. Para sua execução, o tocador se senta sobre a caixa e batuca com as mãos.

 

Reuniões Satélite (só por convite)

 

 

Global Sexuality Watch

24 e 25 de Junho

 

Ford Foundation

26 de Junho

 

IASSCS - La Trobe University

30 de Junho

Sex Race and Gender

28 de Junho

 

Sexualities in the Academic Curricula of Universities in Asia, Africa and Latin America Project.

1 – 2 de Julio

Latin American Center for Sexuality and Human Rights-CLAMS

25 e 26 de Junho